Nos últimos meses, temos enfrentado uma pandemia totalmente inimaginável. Profissionais de diversas áreas foram obrigados a deixar seus locais de trabalho por conta das determinações legais de isolamento social. Mas, a exemplo de médicos, enfermeiros, cientistas, profissionais de transporte e da alimentação, entre outros, os engenheiros civis, eletricistas, agrônomos, profissionais das geociências e tantos outros seguiram em campo. Obras essenciais que já estavam em andamento não pararam, a produção agrícola se manteve em alta e, assim, os alimentos continuaram a chegar à população. Telecomunicações e engenharia elétrica também estão na ativa.

Na área da construção civil, dados da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) mostram que, até o dia 24 de julho, o setor tinha 792 obras em andamento, com 63.024 trabalhadores (diretos e indiretos) em atividade. O setor adotou procedimentos rigorosos e tomou todos os cuidados necessários de prevenção e combate ao novo coronavírus. Essa amostra contém 40 empresas e representa grande parte das maiores incorporadoras do Brasil.

Para se ter uma ideia, o Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) de 2020, de acordo com dados atualizados em maio, está estimado em R$ 703,8 bilhões, 8,5% acima do obtido em 2019 (R$ 648,4 bilhões). O valor é recorde desde que iniciou a série histórica, em 1989.

Por sua vez, as lavouras tiveram alta de 11%, com R$ 469,8 bilhões, e a pecuária obteve R$ 234 bilhões, acréscimo de 3,9% do observado no ano passado.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) prevê uma safra recorde no Brasil para 2020, com produção de 245,9 milhões de toneladas de cereais, leguminosas e oleaginosas.

Com o novo Plano Safra 2020/2021, que entrou em vigor no dia 1 de julho, o governo federal disponibilizou R$ 236,3 bilhões para apoiar a produção agropecuária nacional, alta de 6,1% (mais R$ 13,5 bilhões) em relação à safra anterior.

Na área de telecomunicações, a implementação do 5G no Brasil tem potencial para gerar um aumento de um ponto percentual no PIB do País em média por ano entre 2021 e 2035. A possibilidade é de ganho de US$ 1,1 trilhão no PIB nacional. A estimativa foi divulgada na edição digital da Futurecom, nesta semana.

Vale também destacar que na engenharia elétrica, a potência instalada de geração solar fotovoltaica do Brasil apresentou crescimento de cerca de 1 GW entre janeiro e maio de 2020, de acordo com dados da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR). O volume total do país atingiu a marca de 5,5 GW.

Todos estes exemplos mostram que, seguindo as recomendações dos órgãos de saúde, os engenheiros civis, eletricistas, agrônomos, profissionais das geociências e tantos outros são essenciais para o desenvolvimento econômico e social do Brasil.

 

Joni Matos Incheglu é engenheiro civil e diretor administrativo do Crea-SP