Perspectivas: Grupo CDI lança revista com temas que deverão pautar a mídia e a sua comunicação em 2018

O ano de 2018 será rico em acontecimentos importantes no Brasil, principalmente do ponto de vista político-econômico, como as eleições majoritárias, privatizações de empresas de setores vitais e a reforma da previdência. Portanto, quais as perspectivas para a Comunicação em 2018?

A fim de traçar um panorama desse cenário, o Grupo CDI ouviu mais de trinta jornalistas das mais diferentes áreas para discutir os temas que deverão chamar mais a atenção da mídia brasileira. Assim, nasceu a primeira edição da revista “Perspectivas”, uma publicação com conteúdo relevante que pode contribuir com o seu planejamento de Marketing e Comunicação em 2018.

Prever o que acontecerá esse ano é uma tarefa para especialistas muito bem gabaritados. Por isso, o Grupo CDI convidou os articulistas da mídia José Paulo Kupfer, especializado em economia e colunista de jornais como O Estado de S. Paulo e O Globo, e José Nêumanne Pinto, editorialista de O Estado de S. Paulo e comentarista de política da rádio Estadão.

Os dois jornalistas foram os responsáveis por traçar alguns cenários possíveis para este novo período, em artigos especialmente produzidos para a revista “Perspectivas 2018”.

O que esperar do Brasil em 2018?

Taxa de juros no patamar histórico de 6,75%, a gradual recuperação do índice de emprego, o aumento da intenção de consumo das famílias e o crescimento do PIB são indicadores de um ano mais positivo. Veja as previsões de economistas sobre os principais indicadores:

PIB – Embora haja muitas discussões sobre as reformas, especialmente a da Previdência, bem como a possível instabilidade que a disputa eleitoral pode acarretar no mercado financeiro, o cenário é de otimismo. Os economistas preveem um crescimento do PIB em 2018 e o índice deve ficar em torno de 2,5%;       

Inflação, Taxa de Juros e de Câmbio – Após a inflação reduzir significativamente o poder de compra da população em anos anteriores, 2017 foi marcado por uma desaceleração da alta de preços e pelo aumento de 3% da intenção de consumo das famílias. Para 2018, a previsão é que a inflação se mantenha dentro da meta de 4,5% do Banco Central. 

A Taxa de Juros (Selic), que fechou o ano de 2017 no patamar histórico de 7%, deve se manter menor em 2018, em torno de 6,75%. No entanto, seu rumo vai depender do cenário eleitoral, andamento das reformas e oscilações do dólar – que deve seguir entre R$ 3,20 e 3,50;

Desemprego – Em 2017, a taxa de desemprego começou a cair, porém muitos brasileiros ainda não sentem uma melhora efetiva do mercado de trabalho. Uma das razões é que a grande maioria dos postos de trabalho criados no país foi composta por vagas informais. Os economistas, no entanto, acreditam que o pior já passou e preveem que a taxa de desemprego encerre 2018 em 11,7%.

Com um portfólio que contempla mais de 90 clientes, atuantes em mais de 20 setores da economia brasileira, o Grupo CDI procura resgatar na revista “Perspectivas 2018 o trabalho desenvolvido e proporcionado pela reiterada confiança de todos os seus clientes e parceiros.

Agora, confira o conteúdo na íntegra, com análises de especialistas da mídia, para traçar o seu plano de comunicação em 2018.

 

CTA PERSPECTIVAS 2018 CDI