Como trazer a comunicação com os funcionários para o século 21?

Alinhar esforços dos colaboradores com os objetivos da organização, mostrar os desafios vencidos, reconhecer pessoas e informar atividades relevantes estão no escopo da comunicação interna. Podemos mudar ferramentas, plataformas, incluir novos elementos na conversa, mas o objetivo permanece o mesmo: informar as pessoas sobre o que acontece e engajar funcionários com as metas e propósitos das empresas. Porém, nem sempre a comunicação com os funcionários é considerada relevante.

A pesquisa “Tendências em Comunicação Interna 2018”, da SocialBase, que ouviu 500 profissionais de empresas de todos os portes e segmentos,  mostrou que o cenário tem evoluído e caminhado para fortalecer a comunicação face a face, visto a grande importância atribuída às lideranças. Ao mesmo tempo, engajar este público ainda é o maior desafio, segundo os respondentes.

Os investimentos em canais digitais também aparecem como tendência no relatório, de maneira a apoiar as estratégias que buscam afinar o diálogo empresa-colaborador.

Afinal, como uma organização pode dar voz ao seu colaborador, engajá-lo ao negócio e adaptar a sua comunicação para acompanhar a transformação digital?

Primeiro, as companhias precisam olhar para a comunicação interna e dar a ela peso igual ao de outras áreas estratégicas, como produtos/serviços, marketing, reputação e imagem. É necessário que os líderes – tomadores de decisões estratégicas – entendam que os funcionários são os principais embaixadores das suas mensagens. Eles são o primeiro público a ser informado  sobre mudanças e ações estratégicas que impactarão suas vidas e o mercado em que estão inseridos. São stakeholders preciosos que pensam, consomem, conhecem o negócio da empresa como ninguém. Podem opinar e influenciar outras pessoas.

Isto feito, deve ser considerada qual a melhor forma, canal e linguagem para a comunicação com os funcionários, considerando o perfil desse público, a realidade da empresa, o rumo que ela quer seguir, bem como as transformações do mercado e do mundo.

Vale destacar que canais tradicionais de comunicação interna, como jornal, mural e intranet simples ainda fazem todo o sentido para algumas companhias. Entretanto, é o momento de se refletir como integrar tudo isto com os recursos digitais. Uma integração que deve ocorrer logo e naturalmente em especial pela chegada de funcionários que cresceram “conectados”, como os das gerações Y e Z.  Assim, entram em cena canais como TV, rádio e portais corporativos (com banners, campanhas, pesquisas rápidas), aplicativos de mensagens instantâneas, redes sociais internas. E muito mais! A criatividade é o limite!

A comunicação interna bem conduzida traz uma série de benefícios para a organização. Melhora o clima organizacional, aumenta a produtividade, facilita a integração de novos funcionários, contribui para uma comunicação mais fluída, reduz boatos, melhora a aceitação e alinhamento da cultura organizacional (missão, visão, valores), além de reter e desenvolver talentos.  E ao fazer tudo isto, é estratégica!

E na sua organização? A comunicação com os funcionários é estratégica e tem o espaço que merece ou está em segundo plano?

 

Por Lena Miessva, colaboradora do Grupo CDI.